Como a ideologia dos partidos te ajuda a distinguir os candidatos?

Mariani Ferri de Holanda*

Os eleitores levam em consideração os mais diversos fatores para decidir em quem votar numa eleição. Alguns avaliam a gestão do atual governo para ver se continuam apoiando aquele partido e/ou candidato ou se vão votar na oposição. Outros votam no candidato que tem como proposta uma iniciativa que mais vai lhe beneficiar pessoalmente. E tem, ainda, os eleitores que votam em quem julgam ser mais confiável e honesto, baseando-se em características como impostação de voz e boa aparência. Mas de todos os fatores que possam ser considerados pelo eleitorado, um dos que melhor diferencia os candidatos entre si e, por consequência, ajuda o eleitor a escolher o político que tenham a plataforma com que ele mais se identifique, é a ideologia partidária.

Ideologia é o modo de interpretar a realidade social, identificando seus problemas e apresentando soluções. No caso dos candidatos, ela se manifesta no conteúdo de suas propostas políticas. Dessa forma, mesmo que exista um consenso sobre a necessidade de melhorar a qualidade da educação e da saúde é na forma de execução desses avanços que os políticos se diferenciam. Por exemplo, defender a gestão privada de escolas públicas ou a contratação dos profissionais de saúde apenas por meio da realização de concurso público são escolhas ideológicas diferentes. Os candidatos têm consciência disso, por isso não se distribuem aleatoriamente entre os partidos políticos. Eles procuram fazer parte de um partido que possua valores semelhantes aos seus, ou seja, uma ideologia com que ele se identifique.

A análise dos programas partidários dos candidatos a prefeito nas eleições municipais de 2020 realizada pelo Vota Aí! demonstra que a ideologia partidária influencia na ênfase programática dos candidatos e contribui para sua diferenciação pelo eleitorado. Partidos a esquerda do espectro político propõem a reformulação da carga tributária proporcionalmente à renda, defesa dos direitos trabalhistas e da atividade agrícola familiar, como ilustram as seguintes propostas: 1) Taxação progressiva do IPTU (Alexis Pedrão – PSOL/Aracaju); 2) Proibição de demissões em toda a cidade por, pelo menos, dois anos. Garantia de salário social com extensão do auxílio emergencial até a cura da pandemia (Wanderson Rocha – PSTU/Belo Horizonte) e; 3) Implantação das Feiras da Agricultura Familiar e dos Produtos Agroecológicos, do Artesanato e da Cultura Regional, com duas edições anuais cada uma (Pedro Kemp – PT/Campo Grande).

Por outro lado, partidos a direita do espectro político defendem agendas de diminuição do aparato estatal e otimização da gestão pública, e valores como nacionalismo, militarismo, lei e ordem. Os trechos a seguir demonstram essas posições: 1) Diminuição do número de secretarias para a quantidade necessária com que se possa ter uma gestão eficiente (Dr. Ricardo – SOLIDARIEDADE/Florianópolis); 2) Instituição da escola Cívico-Militares (General Marco Felício – PRTB/Juiz de Fora-MG) e; 3) Obrigatoriedade da execução do Hino Nacional em todas as escolas municipais (Levy Fidelix – PRTB/São Paulo).

A ideologia dos partidos políticos serve de atalho informacional para o eleitor encontrar quais candidatos ele mais se identifica. Mas é por meio da leitura dos programas eleitorais que ele encontra as propostas que o auxiliam a decidir seu voto. Então, se você ainda não deu uma olhada nos programas dos candidatos a prefeito da sua localidade, não precisa se preocupar. O quiz do Vota Aí! te ajuda nessa tarefa. Escolha a sua cidade e veja o que os candidatos estão propondo para ela!

 

*Mariani Ferri de Holanda é doutoranda em Ciência Política no Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP-UERJ).